apropriação cultural

Você sabe o que é apropriação cultural?

Você já ouviu falar no termo “apropriação cultural”? Provavelmente já, mas muita gente encara isso da maneira errada, achando que as pessoas negras não querem que os brancos interfiram em sua cultura simplesmente porque ela é exclusiva delas.

Não funciona bem assim, e nós vamos falar sobre isso no artigo de hoje.

Ficou interessada em saber como funciona?

Seja você negra, branca, amarela ou de qualquer outra etnia, é muito importante saber como evitar se apropriar da cultura de outro grupo social.

Na verdade a apropriação cultural surgiu do fato de que pessoas brancas estão, nos últimos anos, usando cabelos, roupas e desenvolvendo atividades diárias que foram criados pela cultura negra.

Porém, a apropriação cultural serve para vários âmbitos; toda cultura dominante que se apropria e assimila elementos de uma cultura minoritária pode levar essa denominação.

Na nossa sociedade atual e brasileira, o fator brancos associando elementos negros é o mais gritante.

Os cabelos black power sempre foram parte da cultura negra, e não apenas eles, mas também as tranças, twists, dreadlocks, entre outros penteados.

São maneiras de manter o cabelo bem arrumado, bem cuidado e controlado mas ainda assim, sem abrir mão do estilo.

Com o tempo, essa forma de identidade foi criando os estilos do rap, do hip hop e da cultura negra de forma geral.

Com o passar do tempo, artistas do R&B americano começaram a usar o estilo, vindo das comunidades afro-americanas.

Alicia Keys, Beyoncé e muitas outras passaram a fazer do cabelo uma maneira de se expressar também.

Foi assim que a cultura do hip hop e do rap passou a fazer parte da cultura pop internacional.

Foi aí que o problema começou; a partir dos anos 2010 artistas brancos começaram a usar elementos da cultura do hip hop como as tranças, as roupas e o que mais pudessem absorver.

Depois disso o mundo abraçou esses elementos – até mesmo o grillz virou parte do cotidiano de pessoas brancas.

Tranças apareceram em passarelas, novelas, revistas, festas de famosos; cantores passaram a usar pessoas negras e seus estilos como acessórios em clipes, shows e dessa forma a cultura negra foi sendo apropriada de forma discriminada e sem nenhum escrúpulo pelos brancos.

apropriação cultural

Mas por que a apropriação cultural é ruim?

Nesse meio tempo, muitos ataques racistas e violência da polícia contra cidadãos negros e americanos acontecia nas ruas.

Enquanto rappers negros famosos demonstravam apoio nas redes sociais, os brancos não ficavam nem sabendo desse racismo explícito e também não procuravam saber.

Iggy Azalea, por exemplo, foi uma das criticadas por Azealia Banks, que disse “a cultura negra é legal, mas seus problemas não, né?”.

A apropriação cultural, portanto, é algo que deve incomodar a comunidade negra porque os brancos fazem uso das partes boas dela, mas quando é para defendê-la contra os ataques que sofre, todo mundo fica bem quietinho.

E não apenas por isso: uma etnia que sofre violência desde que o mundo é mundo, mal tem direitos civis.

Não consegue sequer o respeito da entidade deveria protege-los e não puni-los sem motivos, que é a polícia.

Não tem autonomia nem para ditar seu próprio estilo sem que os brancos se apropriem disso também?

Vocês não acham que os brancos já têm privilégios demais?

É por esse motivo que muitos artistas negros não se conformam quando brancos são indicados a prêmios por músicas de hip hop, rap, jazz.

O hip hop deriva da luta negra por igualdade enquanto os brancos pescam elementos que acham “legais” e não fazem ideia de quanto aquele cabelo trançado ou aquelas calças largas significam.

A maioria das informações desse artigo foram tiradas do vídeo de Amandla Stenberg, que explica com mais detalhes o assunto. Aperte o play e aprenda mais:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *